Agenda Unificada – 16 dias de ativismo pelo fim de todas as violências contra as mulheres

#ParemDeNosMatarPOA

A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é uma mobilização anual, praticada simultaneamente pela sociedade civil e poder público engajados nesse enfrentamento. Mundialmente, a Campanha se inicia em 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos, passando pelo 6 de dezembro, que é o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Veja a Agenda Unificada completa abaixo. 

Os 16 Dias de Ativismo começaram em 1991, quando mulheres de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), iniciaram uma campanha com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo. A data é uma homenagem às irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa Mirabal, que se posicionaram contrárias ao ditador Trujillo, ficando conhecidas como “Las Mariposas”, e sendo assassinadas em 1960, na República Dominicana.

No Brasil, a Campanha acontece desde 2003 e, para destacar a dupla discriminação vivida pelas mulheres negras, as atividades aqui começam em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra.

Em Porto Alegre, este ano, denunciamos o descaso do poder público com as políticas públicas de enfrentamento às violências contra as mulheres em nossa cidade, no nosso estado e País. Encaramos a desarticulação da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres e seus reflexos na vida de meninas e mulheres que precisam de acolhimento e segurança e têm seus direitos negados.

No Rio Grande do Sul, sofremos com o desmonte de políticas públicas essenciais ao enfrentamentos das violências, seja no fim de programas artísticos e culturais que garantiam o repasse de verbas a projetos que contribuem com as discussões e as mudanças dos cenários postos e da tentativa de diminuição do estado, através da precarização da vida das servidoras e servidores públicos. Além disso, encaramos a extinção da Secretaria de Políticas para as Mulheres, em 2015, um claro sinal de que as políticas públicas para as mulheres não estariam e não estão entre as prioridades.

Agenda unificada de ações em Porto Alegre – #ParemDeNosMatarPOA

Novembro 

22 – I Colóquio Estadual Sobre Violência De Gênero na Ulbra, em Canoas. Inscrições e mais informações aqui.

24 – Rolê de Todas as Minas no Venezianos Pub Café em parceria com a Ong Outra Visão LGBT, 19h. O rolê de todas as minas é para TODAS as minas e busca dar vez e voz as mulheres! “Esse será nosso primeiro Rolê que será de conversas, trocas de experiências no Venê. Discutiremos a atuação e construção das 11 Marchas Lésbicas em Porto Alegre nesses 21 anos de Parada Livre.”

24 – Atividade promovida pela UBM na Estação Rodoviária, das 18h às 21h.

25 – Atividade promovida pelo Movimento de Mulheres Olga Benário e Ocupação Mulheres Mirabal (com coletivos parceiros) no Parque da Redenção, a partir das 10h.

25 – Caminhada de apoio à ONG Maria Mulher, Rua Cruzeiro do Sul, 2035, Bairro Cruzeiro, 14h.

25 – Lançamento da Campanha Justiça para Tatiane

26 – XXI Parada Livre, Parque da Redenção, 14h.

24, 25 e 26 – Festival 1 ano da Ocupação Mulheres Mirabal. Mais informações aqui: https://www.facebook.com/events/250143982182636/.

27 – Abertura da exposição O olhar da sociedade civil sobre a epidemia de HIV/Aids no RS, às 17h, na Assembleia Legislativa do Estado. A exposição fica aberta a visitação até 1 de dezembro.

28 – Debate sobre Subjugação das Mulheres a partir da análise de episódio da série The Handmaid’s Tale (O Conto de Aia), às 14h, em Canoas*

29 – Audiência Mulheres com Deficiência e Violência promovida na Assembleia Legislativa com o Grupo Inclusivass de Mulheres Com Deficiências, 10h.


Dezembro 

– Intervenção urbana organizada pela Minha Porto Alegre, a partir das 10h. Ponto de encontro: Viaduto da Borges de Medeiros

3 – Ação unificada das ativistas do Fórum Municipal de Mulheres e Comdim “O ativismo nos dias de hoje”, no Parque da Redenção, 15h.

4 – A nova forma de violência contra as mulheres: Alienação Parental. Escola Judicial do TRT 4, Parceria Coletivo Feminino Plural, CLADEM e outras, 18h30.

6 – Reunião pública de Rede de Enfrentamento à Violência Contras as Mulheres, no Calçadão de Canoas* – debate sobre os serviços de atendimento a agressores, 14h30

7 – Atividade da Rede Feminista e Observatório da Violência. Escola de Enfermagem da UFRGS, as 16 horas, organizada pela Rede Feminista de Saúde (Regional RS) e Observatório da Violência Obstétrica da UFRGS.

8- Reunião de (Re)conhecimento da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres de Porto Alegre – COMDIM e FMM. Casa dos Conselhos , das 14 as 17hs

15 – A política de humanização no atendimento e acolhimento na rede de saúde, relacionando ao HIV/Aids, as 9hs, no Plenarinho da AL/RS.

Atualizada em 23 de novembro de 2017, às 12h.

Se você quiser incluir ações na agenda unificada ou precisar de mais informações sobre alguma atividade mande email para comunicapontodecultura@gmail.com.

2 Comments

Post a Comment

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support