CFP promove seminário Mulheres que Vivem com Dor nesta sexta-feira, em Porto Alegre

No Brasil, 37% da população sofre com dor crônica, segundo pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira para Estudo da Dor e Universidade Federal de Santa Catarina. E as mulheres, que são a maioria da população, são as que mais sofrem – 60% na Região Sul. Os diversos tipos de dores que sofrem as mulheres estarão em foco no seminário que vai acontecer na próxima sexta-feira, dia 4 de maio, na Sala Adão Pretto da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.

Dia: 4 de maio de 2018 (sexta-feira)
Horário: 8h30min às 17h
Local: Sala Adão Pretto – Assembleia Legislativa do Estado do RS

Ao longo de todo dia, haverá troca de informações e experiências sobre dor na perspectiva de gênero, em sua diversidade, em palestras com especialistas e na forma de relatos de mulheres que têm dor.

Além de chamar a atenção para a relação Mulheres/Dor, o seminário pretende discutir e fazer encaminhamentos para as seguintes questões:
– Que fatores – físico, emocional, social, cultural – contribuem para aumentar a dor das mulheres?
– De que forma, articuladas em rede, as mulheres podem demandar políticas públicas que contemplem suas especificidades no tratamento das dores?
– O SUS já tem tratamentos para estas mulheres?
– Onde funcionam grupos de apoio para mulheres com dor?

Informações e entrevistas: Carol Santos, fone/whats (51) 98576-5966
Ewelin Canizares, fone/whats (51) 98441-3276
Telassim Lewandowski, fone: (51) 3210-1682

Promoção: Coletivo Feminino Plural

Apoio: Grupo Inclusivass e Mandato da deputada Stela Farias/Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul

PROGRAMAÇÃO

8h30min – Recepção/Abertura

9h – Palestra: A experiência da dor lombar crônica em mulheres do Assentamento Rural Filhos de Sepé – Ângela Quijano, Fisioterapeuta

9h20min – Palestra: Tratamentos Alternativos da Dor – Lurdes Maria Prado Duarte (Rafinha), Mestra em Reike

9h40min – Palestra: Experiência do Uso de Práticas Integrativas Complementares para Alívio das Dores – Altemir Berti

10h – Relato: Ewelin Canizares, mulher com deficiência, com várias neuropatias, fibromialgia e há 11 anos com dor crônica intratável

10h20min – Palestra: O tratamento da dor pelo SUS e os serviços de dor na atualidade – Leonardo Botelho, Anestesiologista integrante da Equipe da Dor do Hospital de Clínicas de Porto Alegre

10h40min – Palestra: Dor e Cultura: Um Grito que Alivia – Patrick Mateus, Enfermeiro, fundador do Comitê Brasil Oeste de Enfrentamento à Violência Sexual e Doméstica contra a Mulher, colunista do Portal NoSet e criador do Programa “Mãe Gaúcha”

11h – Palestra: Mulheres negras e a relação com a Doença Falciforme – Neusa Maria da Rocha Carvalho, presidenta da Associação Gaúcha de Doença Falciforme (AGAFAL)

11h20min – Perguntas/Debate

INTERVALO PARA ALMOÇO

13h30min – Atividade Cultural com a cantora e compositora Luisa Gonçalves

13h50min – Relato: Carol Santos, ativista, integrante do Coletivo Feminino Plural e Grupo Inclusivass, vítima de violência doméstica, há 16 anos com dor crônica intratável

14h10min – Palestra: Violência contra a mulher e a relação com a dor – Priscila Detoni, Psicóloga, representante do Conselho Regional de Psicologia do RS

14h30min – Relato: Gina Hermann, Promotora Legal Popular (PLP), integrante da Associação de Soropositivos do Rio Grande do Sul

14h50min – Palestra: Mulheres e Saúde – Cris Bruel, Psicóloga, integrante do Coletivo Feminino Plural e Conselheira Estadual de Direitos Humanos

15h10min – Debate

15h50min – Encaminhamentos

16h20min – Encerramento

Post a Comment

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support