foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas

No dia 29 de agosto de 1996, foi realizado no Rio de Janeiro o 1º Seminário Nacional de Lésbicas (Senale) e esta data ficou marcada como como o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica. Este dia marca momentos de lutas e resistência.
A visibilidade lésbica é um ato político que rompe com a imposição da heterosexualidade como norma.

A histórica discriminação das mulheres lésbicas se materializa. Muitas vezes, através de agressões, de limitado acesso a direitos e em mortes, mostrando sempre o lugar daquela que não deveria existir. O partriarcado invisibiliza, violenta e domina as mulheres lésbicas através de estupros corretivos (na tentativa de “normalizar” afetos e reforçar uma única forma de sexualidade considerada possível).

O Dia da Visibilidade Lésbica é um dia para trazer à tona a diversidade, de autorizar-se frente à ideia de que”não se faz necessário”, é dia de legitimar uma existência além das normas impostas.

O Coletivo Feminino Plural trabalha com a pauta da diversidade a partir da sensibilidade e do afeto entre todas as mulheres e, também, das parcerias que fomos construindo ao longo do tempo, como, por exemplo, no caso do Projeto Mandala da Diversidade em que contamos com a ONG Outra Visão para trabalhar o tema das sexualidades e principalmente a questão da saúde das mulheres lésbicas.

Lutamos por uma sociedade livre de opressões!

Texto: Cris Bruel

Recentemente, foi lançado o Dossiê sobre Lesbocídio no Brasil, material que impactou no seu lançamento em Porto Alegre e que segue impactando profundamente quando o revisitamos. Recomendamos a leitura.