Capacitação e diagnóstico de redes e políticas públicas para enfrentamento à violência de gênero contra mulheres e meninas como ação permanente.

 Projetos

 

Todas são Todas: Inclusão das mulheres com deficiência nas políticas de enfrentamento à violência doméstica – projeto oriundo da parceria entre o Grupo Inclusivass e Coletivo Feminino Plural, com o apoio do Fundo Fale Sem Medo/Avon. Tem como objetivo promover a incorporação das perspectivas e das necessidades específicas das mulheres com deficiência às políticas existentes de enfrentamento à violência doméstica/de gênero e as demais políticas públicas para as mulheres, e fomentar a formulação de políticas públicas específicas para o acesso dessas mulheres à cidadania plena, por meio da mobilização de grupos organizados de mulheres com deficiência e da sensibilização da sociedade para as vulnerabilidades e necessidades específicas das mesmas. Acesse o blog do projeto: http://todassaotodas.blogspot.com.br/ e Facebook: Inclusivass.  Descrição da logomarca do projeto: sobre fundo branco, em letras maiúsculas, abaixo de uma borboleta lilás de asas abertas com o símbolo de feminino sobre o corpo, a palavra “TODAS” está em lilás com o miolo do “o” em rosa. Em seguida, a palavra “SÃO “ está em branco dentro de uma faixa roxa com as laterais em rosa, da mesma largura da palavra “TODAS” que se repete abaixo da faixa.

logo girassoisGirassóis – Gênero e Saúde Mental – Projeto estabelecido em convênio com a SPM-PR, número 004/2013, tem por objetivo capacitar profissionais da rede de atenção do município de Canoas/RS, para a implantação de um modelo de atenção à saúde das mulheres, cuja linha de cuidado reconheça e considere as questões de gênero como determinantes do seu sofrimento psíquico. Para sua execução, Coletivo Feminino Plural estabeleceu parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Canoas e buscou planejar e construir suas ações dialogando com as diretorias da atenção básica e da saúde mental. Acesse o blog do projeto: http://www.girassoisgenero.blogspot.com.br/ e Facebook: Projeto Girassóis – Gênero e Saúde Mental.

image descriptionConexões: Estratégias integradas contra o HIV/Aids e a Violência de Gênero – Projeto contemplado no Edital 2012 do Ministério da Saúde/SES/Unesco. Destina-se a capacitar agentes governamentais e não governamentais de três municípios da Grande Porto Alegre que atuem no enfrentamento às epidemias-gêmeas de violência e HIV, com ênfase nos direitos humanos das mulheres. Articulado com a Campanha Mulheres Não Esperam Mais. Em andamento. Acesse o blog: http://conexoescfp.blogspot.com.br/ Campanha: www.mulheresnaoesperam.blogspot.com.br e a página no Facebook: Conexões – HIV/Aids e Violência de Gênero.

Capacitação da rede de atendimento às mulheres em situação de violência de Porto Alegre, Cachoeirinha, Canoas, Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Osório, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Esteio, Sapucaia e outras. 2000 a 2013.

Diagnóstico das redes de atendimento às pessoas em situação de violência de Porto Alegre: mulheres, crianças e adolescentes, pessoas com deficiência, pessoas idosas – A partir de entrevistas com agentes públicos e membros de organizações sociais que atuam em Porto Alegre, conheceu, avaliou e recomendou medidas para a estruturação de redes. Contratante: Secretaria Municipal de Saúde, PMPA de Porto Alegre. 2010.

Diagnóstico da Rede de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência de Porto Alegre. Percepção sobre violência doméstica e sexual de Crianças e Adolescentes de Prudentópolis – Pesquisa quantitativa a partir de entrevistas com alunos das redes municipal e estadual de ensino. Parceria com Niem/UFRGS. 2007.

rede-menina_PROJETOSRede Menina – Formação de agentes que atuam na violência sexual contra meninas – Formação de Agentes que atuam na prevenção da violência sexual contra meninas. Apoiado pela Amencar/KNH. Tem como objetivo principal qualificar o atendimento às meninas em situação de violência intrafamiliar, exploração sexual e meninas desaparecidas. Consiste em: cursos de capacitação de agentes públicos e privados que atuam junto à rede de proteção de meninas em situação de violência, em módulos voltados para grupos comunitários, profissionais, conselheiros tutelares, conselheiros de direitos, policiais; ações de visibilidade para a difusão do direito a uma vida sem violência; diálogo e advocacy junto às autoridades para a ampliação das garantias e efetivação da rede de proteção prevista pelo ECA e pelos instrumentos internacionais de direitos humanos das mulheres, crianças e adolescentes. 2005.

cartilha-violencia-sexual-contra-meninas_projetosCartilha “Violência sexual contra meninas” – Uma leitura feminista sobre a violência intrafamiliar, formas comerciais e de omissão de estado. 2005.

 


Meninas e Meninos Desaparecidos: O Direito de ser Encontrado
– Projeto voltado para o fortalecimento da Rede de Proteção Contra a Violência e a Exploração Sexual, com o objetivo de assegurar o direito de meninas serem procuradas imediatamente após seu desaparecimento, em função dos danos físicos, psíquicos e até a morte que essas situações proporcionam, de acordo com a Lei de Busca Imediata. Combate a cultura predominante de não se buscar pessoas desaparecidas a não ser 24 horas depois, quando na verdade meninas, que são a maioria dos desaparecidos, são assassinadas até as quatro primeiras horas. Projeto financiado pela Amencar/Comunidade Europeia e Kindernothilfe/KNH. 2004.

Comdim, 2000 – A partir de entrevistas com agentes públicos e membros de organizações sociais que atuam na rede em Porto Alegre, foram reconhecidos e avaliados os obstáculos e nós da rede da capital.