#ParemDeNosMatarPOA

A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é uma mobilização anual, praticada simultaneamente pela sociedade civil e poder público engajados nesse enfrentamento. Mundialmente, a Campanha se inicia em 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos, passando pelo 6 de dezembro, que é o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Veja a Agenda Unificada completa abaixo. 

Os 16 Dias de Ativismo começaram em 1991, quando mulheres de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), iniciaram uma campanha com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo. A data é uma homenagem às irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa Mirabal, que se posicionaram contrárias ao ditador Trujillo, ficando conhecidas como “Las Mariposas”, e sendo assassinadas em 1960, na República Dominicana.

No Brasil, a Campanha acontece desde 2003 e, para destacar a dupla discriminação vivida pelas mulheres negras, as atividades aqui começam em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra.

Em Porto Alegre, este ano, denunciamos o descaso do poder público com as políticas públicas de enfrentamento às violências contra as mulheres em nossa cidade, no nosso estado e País. Encaramos a desarticulação da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres e seus reflexos na vida de meninas e mulheres que precisam de acolhimento e segurança e têm seus direitos negados.

No Rio Grande do Sul, sofremos com o desmonte de políticas públicas essenciais ao enfrentamentos das violências, seja no fim de programas artísticos e culturais que garantiam o repasse de verbas a projetos que contribuem com as discussões e as mudanças dos cenários postos e da tentativa de diminuição do estado, através da precarização da vida das servidoras e servidores públicos. Além disso, encaramos a extinção da Secretaria de Políticas para as Mulheres, em 2015, um claro sinal de que as políticas públicas para as mulheres não estariam e não estão entre as prioridades.

Agenda unificada de ações em Porto Alegre – #ParemDeNosMatarPOA

Novembro 

22 – I Colóquio Estadual Sobre Violência De Gênero na Ulbra, em Canoas. Inscrições e mais informações aqui.

24 – Rolê de Todas as Minas no Venezianos Pub Café em parceria com a Ong Outra Visão LGBT, 19h. O rolê de todas as minas é para TODAS as minas e busca dar vez e voz as mulheres! “Esse será nosso primeiro Rolê que será de conversas, trocas de experiências no Venê. Discutiremos a atuação e construção das 11 Marchas Lésbicas em Porto Alegre nesses 21 anos de Parada Livre.”

24 – Atividade promovida pela UBM na Estação Rodoviária, das 18h às 21h.

25 – Atividade promovida pelo Movimento de Mulheres Olga Benário e Ocupação Mulheres Mirabal (com coletivos parceiros) no Parque da Redenção, a partir das 10h.

25 – Caminhada de apoio à ONG Maria Mulher, Rua Cruzeiro do Sul, 2035, Bairro Cruzeiro, 14h.

25 – Lançamento da Campanha Justiça para Tatiane

26 – XXI Parada Livre, Parque da Redenção, 14h.

24, 25 e 26 – Festival 1 ano da Ocupação Mulheres Mirabal. Mais informações aqui: https://www.facebook.com/events/250143982182636/.

27 – Abertura da exposição O olhar da sociedade civil sobre a epidemia de HIV/Aids no RS, às 17h, na Assembleia Legislativa do Estado. A exposição fica aberta a visitação até 1 de dezembro.

28 – Debate sobre Subjugação das Mulheres a partir da análise de episódio da série The Handmaid’s Tale (O Conto de Aia), às 14h, em Canoas*

29 – Audiência Mulheres com Deficiência e Violência promovida na Assembleia Legislativa com o Grupo Inclusivass de Mulheres Com Deficiências, 10h.


Dezembro 

– Intervenção urbana organizada pela Minha Porto Alegre, a partir das 10h. Ponto de encontro: Viaduto da Borges de Medeiros

3 – Ação unificada das ativistas do Fórum Municipal de Mulheres e Comdim “O ativismo nos dias de hoje”, no Parque da Redenção, 15h.

4 – A nova forma de violência contra as mulheres: Alienação Parental. Escola Judicial do TRT 4, Parceria Coletivo Feminino Plural, CLADEM e outras, 18h30.

6 – Reunião pública de Rede de Enfrentamento à Violência Contras as Mulheres, no Calçadão de Canoas* – debate sobre os serviços de atendimento a agressores, 14h30

7 – Atividade da Rede Feminista e Observatório da Violência. Escola de Enfermagem da UFRGS, as 16 horas, organizada pela Rede Feminista de Saúde (Regional RS) e Observatório da Violência Obstétrica da UFRGS.

8- Reunião de (Re)conhecimento da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres de Porto Alegre – COMDIM e FMM. Casa dos Conselhos , das 14 as 17hs

15 – A política de humanização no atendimento e acolhimento na rede de saúde, relacionando ao HIV/Aids, as 9hs, no Plenarinho da AL/RS.

Atualizada em 23 de novembro de 2017, às 12h.

Se você quiser incluir ações na agenda unificada ou precisar de mais informações sobre alguma atividade mande email para comunicapontodecultura@gmail.com.