Chamado da RSMLAC a Ação 25 de novembro de 2013 – #25NTodosLosDías

“Dia da Não Violência contra a Mulher: com o meu corpo violado não há revolução “

RSMLAC 25 nov

Sandra Castañeda Martínez -Coordenadora Geral RSMLAC –  Desde 1999 as Nações Unidas reconheceram 25 de novembro como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher, e proposto pelo primeiro encontro regional latino-americana feminista, para honrar a memória das irmãs Mirabal assassinadas na República Dominicana durante ditadura de Leonidas Trujillo, que se tornou um símbolo de resistência e luta pela democracia para mulheres do mundo.
Desde então, a cada ano as mulheres comemoraram 25 de novembro denunciando a violência em curso contra nós  e exercida de muitas formas diferentes, quando:

  • Não se respeitam nossos direitos humanos fundamentais e vivemos vidas violentadas em razão de nosso gênero.
  • Nos negam a possibilidade de decidir sobre nossos corpos, impondo-nos maternidades obrigadas e condenando-nos a clandestinidade de abortos inseguros e ilegais.
  • Não recebemos atenção médica e acesso a saúde integral; oportuna, informada,  sensível, respeitosa e de qualidade.
  • Nossa participação política não é efetiva, nem respeitada, nem assumida como compromisso de Estado.
  • Somos agredidas por defender os direitos de outras mulheres, jovens e meninas.
  • Os Estados subscrevem acordos e instrumentos internacionais e estes não são incorporados a seus corpos legais e as práticas institucionais locais.

A falta de acessoa a uma vida livre de violência contra as mulheres, as vulnerabiliza, as fere e em muitas ocasiões as condena à morte e o drama aumenta quando os Estados não as protegem e nem garantem o acesso à justiça.

Então, em 2013, o plano de ação da Rede de Mulheres da América Latina e do Caribe , RSMLAC, tem como objetivo:

  • Tornar visível a violência institucional de gênero, exercida pelos Estados e que se expressa no acesso limitado a cuidados de saúde integral para meninas, jovens e mulheres adultas.
  • Assim como, denunciar a responsabilidade do Estado e dos meios de comunicação, ante o feminicídio, como a manifestação mais extrema da violência de gênero, que cresce a cada dia na América Latina sob o amparo da  impunidade e a omissão do Estado.

Convidamos as organizações na América Latina e no Caribe e rede nacional a aderir as seguintes ações no Twitter e Facebook: #25NTodosLosDías e www.facebook.com/RSMLAC.

1. Usando HT #25NTodosLosDías, lembrando e denunciando casos emblemáticos de violência cultural, social, econômica e de Estado, por exemplo, os casos de #Esperancita#RosaCely#AngélicaBalladares#KarinaDelPozo, #Beatriz .

2. Ler e espalhar o nosso #AlertaFeminista até 25 de novembro, com ênfase na violência de gênero exercida pelo Estado, como: a) A falta dos ODM, b) Dívidas implementação da agenda de Cairo, c) Nenhum ou acesso limitado a atenção integral à saúde das mulheres, d) Violação do direito à vida e à saúde das mulheres e e) Deixar de fazer a revolução socialista do século se não erradicar a violência de gênero contra as mulheres.

3. Auxiliar na realização de um coletivo Mapping #25NTodosLosDías feitas entre organizações de mulheres na região, com todas as notícias sobre a violência contra a mulher que ocorreram em 2013, que serão recolhidos pelo RSMLAC. Os embarques podem ser nas fotos, opiniões, histórias, links de notícias.

Juntas, damos força e ressonância para as nossas vozes!

Sandra Castañeda Martínez
Coordinadora General RSMLAC
scastaneda@reddesalud.org

Publicado em 24/11/2013. Disponível na versão original em: http://rsmlac.blogspot.com.br/2013/11/view-llamado-la-accion-25-de-noviembre.html. Tradução: Léa Epping

Post a Comment

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support